Teoria Star Wars: Rey precisa ir para o lado sombrio da força

18 de outubro de 2016

Uma das coisas que fãs de Star Wars mais gostam é tentar desvendar os mistérios da saga. Teorias sobre o destino de personagens são comuns pela internet. A mais recente diz que Rey deve ir para o Lado Sombrio da Força durante o Episódio VIII, e que vários fatos em “O Despertar da Força” levam a crer que isto de fato irá acontecer. A teoria tem bons argumentos, mas carece de base para seus fundamentos.

Veja a seguir o que diz esta teoria, e logo abaixo de cada tópico estão meus comentários (em itálico) desmentindo cada um deles com base nas próprias histórias do cânone oficial da saga, principalmente os filmes.

rey_001

TEORIA STAR WARS: REY PRECISA SER MÁ

Para a nova trilogia de Star Wars, Rey foi mostrada como a nova protagonista, e Kylo Ren como o principal antagonista. Entretanto, há muitas razões pelas quais eu quero que estes personagens troquem de lado durante a trilogia. Kylo Ren deveria ser um espião da Resistência, e há muitos aspectos que fariam da transição de Rey pro mal muito poderosa.

Se a Rey vai ser má, ela precisa ter boas razões pra isso. Enquanto um dos problemas pra entender ela é o fato de termos pouca informação sobre seu passado, ainda podemos achar três coisas sobre ela em “O Despertar da Força” que poderiam facilmente se tornar em fúria e ódio.

1. Solidão

Rey foi abandonada num planeta de ferro-velho com ninguém além do chefe dela pra cuidar dela. Este abandono claramente tem um preço na sua psique, como Kylo Ren nota quando invade sua mente e descobre que ela “é tão solitária”. Embora possa haver vários motivos para este abandono, esta solidão em Jakku ainda a expôs a assédios, exploração, e abuso com o qual ela lidou dando uma surra nos outros sucateiros, como aqueles que tentaram roubar BB-8. Vivendo mais de uma década sobrevivendo neste planeta cruel daria a Rey bastante tempo pra sentir raiva e ressentimento a sua situação em Jakku. Se parte da razão que ela procura os que a abandonaram for por causa de uma raiva para com estas pessoas, isto pode provocar conflito interno para Rey resolver durante o resto da trilogia.

COMENTÁRIOS: Em nenhum momento durante “O Despertar da Força” vemos alguma motivação em Rey em se “tornar má” por ter sido abandonada. Se isto fosse razão para uma mudança de caráter, ela já teria tornado-se má, agindo igual aos outros sucateiros que ela enfrenta para salvar BB-8. Ela até mesmo teria vendido BB-8 quando seu chefe fez a proposta.

2. LUKE SKYWALKER

Além de suportar solidão absoluta pela maior parte de sua vida, esperando alguém que “nunca voltaria“, Rey poderia também questionar outra coisa que a aprofundaria no mal – o exílio de Luke. Há inúmeras explicações pelas quais Luke se esconderia, mas no fim das contas, Luke deixou a galáxia por anos, e ele provavelmente sabia da Rey. Para Rey, que assistiu a morte de Han Solo e ajudou a destruir a base Starkiller, ela poderia ver Luke como alguém inútil desperdiçando seu tempo numa ilha isolada. Mesmo que Luke não soubesse sobre a Rey, ela ainda pode se sentir traída por um Mestre Jedi que não estava querendo procurar e treinar outros “Force sensitives” (pessoas sensíveis à Força) como ela, aumentando sua raiva pois Luke poderia ser “o pai que ela nunca teve” (outro medo que Kylo Ren encontra em sua mente).

Mesmo se Luke tivesse boas razões, essas percepções seriam faíscas interessantes para uma abrangente fúria em Rey e, como num “plot twist“, causaria a percepção de que os Jedi são inúteis ou prejudiciais à galáxia. Fazendo isso, ajudaria também Rey a se conectar com o público (a maioria de nós também se pergunta por que Luke ficaria sentado numa pedra por anos). Se a Rey fosse virar má por conta desse abandono, o Episódio VIII poderia usar essa confusão sobre a inatividade de Luke pra explorar o quão desesperadamente a Rey quer o pai que ela nunca teve.

COMENTÁRIOS: Acredito que se este fosse o caso, ele já chegaria ao encontro de Luke reclamando. É claro que uma cena final de Star Wars nunca seria feita desta maneira. Mas por que então Luke não foi para o Lado Sombrio pela mesma razão? Afinal, Obi-Wan o teria traído ao mentir e dizer que Darth Vader matou seu pai, quando na verdade Vader ERA seu pai. Mesmo assim, Luke entendeu que Obi-Wan não contou a verdade no início por entender que Luke não estava preparado para ela. Rey inclusive demonstra uma maturidade maior que Luke tinha quando ele conheceu sobre a Força e os Jedi (meninas amadurecem mais rápido que meninos, certo?), e por isto conseguiria manter o controle e continuar no Lado da Luz.

3. Retaliação

O momento de retaliação da Rey chega quando Kylo Ren, no Episódio VII de Star Wars, está lendo sua mente e vê “a ilha”. Rey não responde defensivamente, mas agressivamente. Em vez de se proteger, ela invade a mente de Kylo e descobre que o maior medo dele é “não ser tão forte quanto Darth Vader“. Escritores poderiam usar esta atitude no futuro, fazendo ela usar os mesmos artifícios usados contra ela. Ela estava disposta a invadir a mente de Kylo e também atacá-lo fisicamente com um sabre-de-luz. O abandono de Rey e a visão distorcida que ela tinha de Luke Skywalker mostram que, se Rey fosse virar má, o público teria vários conflitos interessantes e características a serem desenvolvidos.

COMENTÁRIOS: Rey não está se vingando de Kylo Ren, está se protegendo. Houve uma conexão entre as mentes dos dois. Através dessa conexão é que Kylo consegue ler a mente de Rey. E se você é um “Force sensitive”, você consegue ler a mente de quem está lendo a sua. É uma via de mão dupla. Ela apenas enfrentou Kylo com os medos que ele tinha para que ele a parasse de torturar.

Escolha da arma

Outro aspecto de “Star Wars: O Despertar da Força” que mostra que Rey poderia ir pro Lado Sombrio é a arma que ela aceita no filme. Esta arma, o sabre de luz de Luke, está manchada com o extermínio de dezenas de crianças Jedi e a destruição de um acampamento inteiro do Povo da Areia. Também dá a Rey uma visão assustadora que inclui o som da respiração de Vader, uma imagem mostrando seu abandono em Jakku, uma aparição de Kylo Ren, e as palavras de Obi-Wan: “Estes são seus primeiros passos”. Futuros filmes poderiam focar na habilidade deste sabre de evocar e projetar visões sombrias e poderes que indicam para a possibilidade de Rey se tornar má.

Até mesmo Maz Kanata fala sobre o poder deste sabre-de-luz, dizendo: “Aquele sabre era do Luke, e do pai dele antes. E agora, chama por você”. Entretanto, Maz não está só dizendo que o sabre foi usado por pai e filho. Ela está nomeando as duas outras pessoas que foram de grandes Jedi a heróis caídos (mesmo que esta transformação tenha sido só por um momento). Ela também está mostrando que o sabre tem o poder de evocar uma pessoa – e este objeto sombrio e poderoso escolheu a Rey.

O mais importante a considerar, entretanto, é como Rey trata esta arma. Ela só usa o sabre-de-luz como uma arma, um meio para um fim, e mostra que ela está mais do que disposta a atacar Kylo Ren. Ela se recusa a aceitar quando Maz a oferece e só pega a arma quando ela precisa para combater Kylo – diferente de Luke, que pegou a arma como um artefato nobre de seu pai e nem usou a arma até o Episódio V. Todos estes detalhes podem ser usados para oferecer explicações intrigantes para como ou porque Rey se tornaria má – e este acontecimento poderia oferecer consequências interessantes em qualquer uso futuro desta arma.

COMENTÁRIOS: No universo Star Wars, objetos inanimados não tem vontade própria. Não são como as varinhas mágicas em Harry Potter ou o “Um Anel” em “O Senhor dos Anéis”. Embora no cânone oficial existam os holocrons (objetos que contém informações que só podem ser abertos com o uso da Força) e inclusive os holocrons Sith (que são abertos com o uso da Lado Sombrio), os holocrons em si não afetam a pessoa diretamente, mas sim o fato da pessoa se deixar levar pelo Lado Sombrio quando o usa no holocron. Dito isto, um sabre-de-luz não é um objeto com vontade, muito menos com vontade sombria. Se isto fosse verdade, o sabre teria ido para a mão de Kylo Ren quando ele tentou puxá-lo com a Força no final de “O Despertar da Força”. Embora tenha ido para a mão de Rey, não foi por vontade do sabre, mas por vontade da Força.

Há outro erro aqui. O sabre foi usado sim no extermínio de crianças Jedi no Episódio III. Mas o extermínio do acampamento do Povo da Areia foi com outro sabre, de design idêntico, no Episódio II, que mais tarde foi destruído quando Anakin estava na fábrica de droides em Geonosis. Ele construiu um novo depois, e é este novo que foi passado para Luke. Foi usado para o mal sim, mas não contra o Povo da Areia no Episódio II. E também foi usado inúmeras vezes para o bem, o que invalida a ideia de ser um objeto do mal.

Aqui diz que Rey só usou o sabre como “arma”, como se isto fosse razão para ela ser violenta e tornar-se má. O sabre-de-luz É UMA ARMA. Obi-Wan é bem claro nos filmes ao confirmar isso. Em Episódio IV, ele diz: “esta é a arma de um Jedi”. No Episódio II, ele dá ênfase: “Esta arma é sua vida”. Para o quê mais Rey usaria o sabre se não como uma arma? Usá-lo como arma não significa ser violento ou ser mau. Ela usa para se defender de uma ameaça, que é Kylo Ren.

Mudando a luta do poder

Em “Star Wars: O Despertar da Força“, tanto Snoke quanto Kylo Ren querem treinar Rey. Snoke pede que ela seja trazida a ela e Kylo diz a ela que ele pode ser seu professor. Este desejo por Rey, mostrado pelos dois antagonistas, não é algo novo em Star Wars. Claramente reflete uma dinâmica vista na Trilogia Original.

Kylo faz uma oferta similar a de Darth Vader no Episódio V. Ambos os vilões dizem aos heróis que eles podem se unir e crescer na Força. A reação de Rey, entretanto, é bem diferente da de Luke – Luke imediatamente se afasta e diz “Eu nunca me unirei a você!”. Rey, por outro lado, apenas ouve a oferta de Kylo, repete a palavra “Força“, e então fica de boca calada, nunca declarando seu propósito verbalmente.

Depois desse momento de contemplação, Rey subitamente combate Kylo e o derrota. Esta reação só mostra que, se eles se unissem, ela seria quem o treinaria. Mas Rey nunca mostra nenhuma maldade na ideia de parceria, muito menos claramente rejeita a ideia de cara como Luke. A resposta dela, de só atacar Kylo em vez de recusar sua proposta, claramente não é tão nobre e, mesmo que ela recuse a proposta de Kylo, ela ainda tem que enfrentar o poder de Snoke, como Luke teve que enfrentar o poder do Imperador Palpatine. Se Luke, que imediatamente recusou a oferta de Vader, pareceu tão tentado pelas palavras de Palpatine que ele chegou a cortar a mão de seu pai fora antes de se controlar, então está claro que Rey, que nem ao menos recusou claramente a proposta de Kylo Ren, poderia facilmente cair nas tentações de Snoke e oferecer um contraste cativante para a luta de poder que Luke superou.

COMENTÁRIOS: Rey não rejeita verbalmente a proposta de Kylo Ren porque elá está na beira de um precipício, lutando por sua vida. Você entraria em um debate verbal durante uma situação assim? Acredito que não. O fato de ela derrotar Kylo não significa que ela é quem tem algo a ensinar a ele. Kylo Ren estava ferido com um tiro de blaster de Chewbacca, e com ataques de sabre da luta contra Finn. Claramente ele estava muito ferido quando lutou contra Rey e fisicamente exausto.

Somado com o fato de sua mente estar extremamente desgastada por estar dividido entre a Luz e o Lado Sombrio, além do fato de ter matado seu próprio pai, isto fez com que Kylo Ren não estivesse devidamente apto na batalha. Rey o ataca porque está com raiva sim. Por Kylo ter matado Han Solo. Por Kylo ter ferido seu único amigo, Finn. Assim como Obi-Wan estava com raiva de Darth Maul por ter matado seu mestre, Qui-Gon Jinn. Mas o que faz de alguém um Jedi, é superar esta raiva e manter o controle. Rey não é uma Jedi, mas por não ter matado Kylo Ren já mostra que deverá seguir no Lado da Luz. Ela teve a chance antes mesmo do chão ter se aberto e separado ela de Kylo.

O arco de Anakin

Um detalhe final que os cineastas devem considerar para o possível futuro sombrio de Rey é o fato de que Rey é extremamente similar a Anakin: seus tormentos não são externos. Ela é uma sucateira competente, ótima mecânica, pilota e lutadora. Não só ela conserta a Millennium Falcon e destrói várias caças TIE numa nave que ela nunca tinha voado, mas ela também derrota o braço-direito de Snoke com uma arma que ela anteriormente havia recusado.

Por ela não ter nenhum oponente externo, os únicos conflitos que Rey realmente enfrenta são internos – lidar com seu passado, aceitar seu futuro e decidir como e quando lutar. Como seus conflitos são internos, faria pouco sentido pra ela ficar no lado da Luz – fazendo isso ela teria menos conflito pelo resto da trilogia, assim como Anakin teria se não tivesse dúvidas em relação aos Jedi nos Prelúdios. Rey já enfrentou o equivalente ao conflito exterior de Luke durante toda a Trilogia Original ao derrotar o braço-direito do principal antagonista. Agora ela precisa decidir o que é moralmente certo e qual lado ela se unirá.

De novo, este conflito é extremamente similar ao de Vader. Nos Prelúdios, Anakin é um incrível piloto, um poderoso Jedi, e um guerreiro implacável – os únicos problemas que ele enfrenta envolvem seu senso moral. Ele também tem flashbacks de momentos traumáticos – como a morte de sua mãe – e eles o enchem de dúvida e raiva, o que ajuda a despedaçar sua moral e o fazem ir para o Lado Sombrio. Depois de ver o começo de seu padrão poderoso refletido em Rey, seria incrivelmente fascinante ela completar o mesmo arco, talvez até pedindo conselho a Vader como Kylo fez em “O Despertar da Força” numa tentativa de ser como ele. E se este paralelo fosse explorado com a Rey se tornando má no Episódio VIII, ela poderia, com o treinamento adequado, se tornar mais poderosa que Darth Vader jamais foi.

COMENTÁRIOS: Luke é semelhante a Anakin nestes aspectos também, mas manteve-se no Lado da Luz. Ou seja, isto não é motivo para nos levar a crer que Rey irá para o Lado Sombrio. (Nota: Anakin foi falho como guerreiro algumas vezes, como quando foi derrotado pelo Conde Dookan no Episódio II.) Embora Rey tenha mais conflitos internos a lidar, Luke também tinha, mas nem por isso foi tedioso vê-lo no Lado da Luz. Temos muitas outras questões pra ver serem resolvidas em vez de Rey ir para o Lado Sombrio, como a razão de Kylo Ren ir pro Lado Negro, quem é Snoke, a razão do exílio de Luke e outras que possivelmente surgirão no Episódio VIII, como o personagem de Benicio del Toro, que será um vilão.

Rey indo pro Lado Sombrio deveria ocorrer por uma série de razões. Mas motivações, a arma, luta de poder, e arcos e escolhas similares são apenas algumas das razões que seriam intrigantes pra explorar com a transformação maléfica de Rey. E os possíveis resultados desta mudança – de uma luta entre Luke e Rey até uma traição de Rey contra Finn – seriam tanto assustadores e incríveis.

Rey até pode ir para o Lado Sombrio. Mas se isto acontecer, eu não creio que será pelos motivos desta teoria. Aliás, não acredito que isto acontecerá de jeito nenhum. Dito isto, eu afirmo, dentro das minhas convicções e dos meus comentários neste texto que…

… REY NÃO IRÁ PRO LADO SOMBRIO!

rey_002

Artigo publicado por J.Q. Ronan em seu blog e republicado no site TheForce.net. Adaptação e comentários do blog Nerd News por Ray de Aguiar.

Tá conhecendo o Nerd News aqui pelo blog? Então dá uma olhada nas nossas redes sociais, nas quais postamos novidades sobre o mundo geek o dia todo. Além do YouTube, estamos no Facebook, Instagram e Twitter.

Copyright © 2017 Dia Produções
Todos os direitos reservados.